Minha história com a Rádio Globo não é muito diferente das histórias que a gente ouve, mas sendo nossa história, passa a ser especial. Não lembro quando percebi a Globo AM pela primeira vez, mas era um tempo em que minha mãe se emocionava fazendo as tarefas de casa e isso me chamava atenção.

Quando quis ser radialista, e isso foi um vulcão que explodiu em minha alma, o objetivo era ir para a Rádio Globo, mesmo sabendo que ali só entravam os melhores. Tinha que passar por emissoras menores e ir ganhando experiência, como de fato ocorreu. Eram várias emissoras em um prédio na Glória. EldoPop para coisas mais viajantes, Mundial para os sucessos musicais e Big Boy, Globo FM com a qualidade sonora nota 10 e a Globo AM com notícias e futebol. Tinha programação para todos os gostos, mas depois do sucesso da Rádio Cidade FM, confesso, meu coração foi para o prédio da Av. Brasil, 500.

Sucesso de audiência, a Rádio Globo foi perdendo seus amantes, amigos e notoriamente perdendo o carinho da família Marinho. Aos poucos o Sistema Globo de Rádio foi sendo uma pedra no sapato dos Marinho que viam as emissoras caírem vertiginosamente no ibope. Alguns projetos como “Globo Brasil” afundaram ainda mais a emissora. Outro projeto que consumiu muito recurso foi a “Rádio Click” que até foi boa ideia, mas não em meados de 90. Completamente fora de hora.

Outro detalhe que contribuiu para o fracasso, foram as cabeças pensantes nas diretorias gerais. Nessa época eu já estava por lá e pude ver, incrédulo, decisões que mexeram com o futuro e com a história da 1220 AM. Mas, hoje fica claro que não se importavam mais em manter várias emissoras no ar que já respiravam por aparelhos.

Os acionistas decidiram que a Globo FM iria ser a CBN e que a 98FM seria a Globona. Apostaram no HD Rádio de forma errada e quando a tecnologia arrombou a porta foram dispensados centenas de funcionários e todos os dois prédios da Rua do Russel. Rádio Globo ficou no passado como tantas outras emissoras quando o rádio ainda era o principal e mais rápido veículo de comunicação popular. Hoje é uma rádio como qualquer outra.

Não pense você que sou do time que “faria” melhor, não sou e não faria. Na minha opinião foram vários fatores que contribuíram para essa decadência, mas a falta de sensibilidade com a chegada da tecnologia foi o maior deles. Não acreditaram no avanço rápido das redes sociais ou não souberam se atualizar. Tentaram passar para os ouvintes uma modernidade que os próprios ouvintes não queriam. Mas, acredito que isso não seja problema para os Marinho. Fica mais barato entregar o canal.

Só para constar, foi a melhor emissora que trabalhei. Saudade.

Ruy Jobim

Para matar a saudade…

 

Oi! 👋
Prazer te conhecer.

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todos os meses.

Não enviamos spam! Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.