Nesta quinta-feira, 10 de março, a Rádio Vaticano participa da iniciativa “Beethoven call for solidarity”, um apelo à solidariedade e uma demonstração de apoio ao povo da Ucrânia. Durante qualquer hora do dia, todas as emissoras de rádio da “European Broadcasting Union”, a União Europeia de Radiodifusão, a maior associação mundial de meios de comunicação social do serviço público da qual o representante da Santa Sé é membro fundador, são convidadas a transmitir a “Nona Sinfonia” em ré menor, op. 125, de Beethoven, (completa ou na parte com o Hino à Alegria).

A largada com programa português

O dia especial de solidariedade com Beethoven foi aberto às 9 da manhã justamente com o programa em português da Rádio Vaticano para depois, ao longo da jornada, seguir em transmissões de outras línguas (em albanês, árabe, armênio, bielorrusso, búlgaro, checo, chinês, croata, eritreu, etíope, francês, hindi, malaio, tâmil, inglês, kiswahili, letão, lituano e polonês, romeno, russo, eslovaco, esloveno, espanhol, alemão, ucraniano, húngaro e vietnamita). Tudo pode ser acompanhado pelo portal do Vatican News. Às 22h desta quinta-feira (10), o programa em italiano “Spazio EBU” (na 105FM, DAB+, por satélite e também no portal do Vatican News) vai transmitir a “Nona Sinfonia” interpretada por Bernard Haitink, um concerto gravado em 2019.

“Uma iniciativa simples, mas significativa”, disse Massimiliano Menichetti, responsável da Rádio Vaticano/Vatican News, “que recorda na música, o compromisso essencial para a construção do laço de fraternidade entre os homens e os povos. Neste momento em que o horror da guerra, travada pelo exército russo, fere milhões de pessoas, ameaçando o equilíbrio mundial, é nosso dever expressar proximidade ao povo ucraniano e nos comprometermos para restaurar a paz. Nos unimos às emissoras da Europa e à rádio nacional da Ucrânica, a UA:PBC, que continua no ar, transmitindo notícias e informações vitais aos cidadãos e compartilhando com outros membros da União Europeia de Radiodifusão relatórios in loco”.

A proximidade da Rádio Vaticano

A Rádio Vaticano, a fim de “garantir uma pluralidade de vozes”, também está avaliando ampliar a radiodifusão em ondas curtas na Rússia e Ucrânia. “Atualmente estamos com os nossos enviados nas fronteiras da Romênia, Hungria, Moldávia e Polônia, onde a crise humanitária assume dimensões dramáticas”, salienta Menichetti. “Procuramos levar a esperança, informação contextualizada, oração e registros. Na nossa estrutura, trabalham lado a lado pessoas provenientes de 69 nações: russos, ucranianos, estadunidenses, etíopes, eritreus, sírios, libaneses, chineses… todos envolvidos numa narrativa que constrói, inspirados por aquela visão maior que flui do Evangelho: que ama e acolhe o homem”.

Fonte: Rádio Vaticano