Prefeituras e comunidades distantes que não estão conectadas ao Sistema Interligado Nacional podem receber energia elétrica e água a partir de uma Ilha de Policogeração Sustentável.

Trata-se de um protótipo, desenvolvido por 15 pesquisadores da Coppe, a Coordenação de Programas de Pós Graduação e Pesquisa de Engenharia, da UFRJ. Ele foi inaugurado nesta segunda-feira, no campus da universidade, na ilha do Fundão, no Rio de Janeiro.

A professora e coordenadora do projeto, Carolina Naveira-Cotta, explicou que o sistema é pioneiro no país e capaz de gerar simultaneamente eletricidade, água destilada, biocombustível, e outros insumos, para regiões que tem exatamente esta demanda.

A Ilha de Policogeração Sustentável é flexível, podendo ser modificada para uso em outros locais e adaptada para cogeração de outros insumos, dependendo do objetivo e uso.

O projeto tem apoio da Faperj, a Fundação de Amparo à Pesquisa do estado do Rio de Janeiro, do CNPq e da Marinha do Brasil e está sendo financiado pela Coppe e Petrogal Brasil via ANP, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

Fonte: Agência Brasil